• Marcela Lahaud

COMO TIRAR VISTO AMERICANO: PASSO A PASSO E DICAS


Mesmo a alta do dólar não foi capaz de fazer com que a galera parasse de ir para os EUA 🇺🇸 e sempre existem MIL MEDOS e receios em relação ao processo de retirada de visto..

Como eu me sinto quando vou tirar visto para os EUA..

E por isso, mais uma vez, a Tia Max vai fazer aquele post de utilidade publica para VOCÊ que quer planejar a sua viagem para terra do Tia Sam não sabe como.

Quando você vai viajar a turismo, o visto que você vai solicitar é o tipo “B1/B2”. Ele serve para visitas temporárias aos EUA, tanto para lazer como para negócios.

A embaixada norte-americana no Brasil sugere que os viajantes solicitem “o quanto antes” o visto.

PORÉMENTRETANTOTODAVIA, se for para falar de números/datas, o ideal é que você veja com, em média, 6, NO MÁXIMO, 3 meses de antecedência! Com um prazo menor rola? Até que rola! Mas a tendência é que você tenha que correr um pouco contra o tempo, que você tenha umas dores de cabeça.. Não incentivo!

Além disso, a recomendação do próprio consulado é que os turistas só comprem suas passagens aéreas ou pacotes de viagem quando tiverem o visto em mãos. Afinal, caso ele seja negado, nem sempre dá para conseguir reembolso (seja parcial ou integral).

É importante keep in mind que, ao analisar um pedido de visto B1/B2, a embaixada quer principalmente se certificar de que você vai aos Estados Unidos realmente com os fins os quais você está declarando. No caso, turismo. E que você não tenha intenção de realizar qualquer outra atividade que não seja o propósito do seu visto (como estudar, trabalhar ou morar no país). A ideia é provar através de vínculos aqui do Brasil que você não é um imigrante em potencial.

O consulado analisa 3 pontos principais na hora de aprovar o visto:

1) O MOTIVO DA SUA VIAGEM

TIO QUERO CONHECER O MICKEY

Apesar de não ser indicado comprar as passagens antes de ter o visto, porém, até mesmo para preencher o formulário do visto, é necessário que você já saiba (ou pelo menos tenha uma ideia) para qual cidade você vai, quando e onde ficará hospedado.

E tem que justificar com um motivo LÓGICO o porquê da sua ida aos EUA!

Chegar e falar que quer visitar o país para ver o que acha para depois imigrar? NÃO ROLA!

Quer conseguir um bico por lá para depois ficar por valer? NÃO ROLA!

Vou tirar férias do trabalho, faculdade e quero aproveitar esse momento de lazer para conhecer os EUA, visitar os parques da Disney, assistir os espetáculos da Broadway? ISSO É UM MOTIVO!

2) TER RECURSOS FINANCEIROS PARA CUSTEAR A VIAGEM

Não, você não precisa se rum lobo de Wall Street..

Não é necessário ser rico, mas é importante, por exemplo, que você declare renda. Para a imigração uma pessoa que não declara imposto de renda é porque recebe menos do que o limite necessário, e, provavelmente, não tem condições financeiras de custear uma viagem para o exterior.

Você tem que ter algum meio de comprovar que tem como custear a viagem. Seja com os 3 últimos extratos bancários, contra cheque, imposto de renda.. Qualquer coisa!

Se outra pessoa que vai bancar sua viagem (seus pais, por exemplo), você estará viajando com o que a gente chama de “patrocinador” (ou, no termo em inglês, sponsor). E, nesse caso, você precisa provar que o seu “sponsor” tem condições de custear a sua viagem.

3) VÍNCULOS COM O SEU PAÍS DE ORIGEM

Eu já comentei isso brevemente no início do post, mas esse ponto é de extrema importância e é bom enfatizar bem.

Lembrando que não é necessário ter um emprego fixo e grandes bens de valor.

Uma pessoa de 20 anos, por exemplo, não necessariamente tem casa ou um emprego fixo. Mas tem o vínculo familiar, (pai e mãe aqui no Brasil), e/ou vínculo com a universidade que ele cursa e pretende concluir.

Mas, vamos lá, sua família inteira mora nos Estados Unidos e você quer ir para lá, a tendência é que você seja visto como um imigrante em potencial. Terá de demonstrar, então, que precisa ficar no Brasil por outros motivos (como os que eu mencionei acima).

Mas vamos lá: COMO TIRAR O VISTO!?

PRIMEIRO PASSO: PREENCHER O FORMULÁRIO DS-160

Você terá de completar um formulário chamado DS-160 (link para o formulário aqui: https://ceac.state.gov/genniv/)

Apesar de as perguntas serem em inglês, o site tem tradução, e você pode colocar o próprio navegador para traduzir a página. Além disso, apesar de o consulado indicar que, caso você tenha conhecimento de inglês, você responda as perguntas em inglês. Isso não é obrigatório e você pode sim responder em português caso você seja se sinta mais confortável.

Nesta formulário você vai colocar todos os seus tipos de dados pessoais: nome, data de nascimento, estado civil, endereço, onde trabalha e onde estudou.. E também terá de responder a algumas perguntas específicas sobre viagem, como:

- Você já esteve nos EUA antes?

- Já teve seu passaporte roubado?

- Outras pessoas vão viajar com você?

Na real não tem muito mistério! A própria embaixada tem um vídeo com dicas para quem estiver com dúvidas e dando algumas dicas (veja o vídeo clicando aqui: https://youtu.be/gcqLsQO4020).

A única parada é que você vai precisar reservar um pouco mais de uma hora para responder ao questionário e você é de extrema importância que você seja TOTALMENTE SEM EXCEÇÕES OU DESVIOS o mais honesto e claro possível nas respostas.

Nada de querer ser brasileiro malandro e “maquiar” alguma informação negativa ou omitir algo.

Além de rezar a lenda (que aparenta ser muito real) de que o consulado já faz uma pesquisa prévia para ver saber da sua vida, muitos vistos são negados pois na hora da entrevista as respostas do entrevistado não batem com o que foi respondido no formulário DS-160. E caso você minta, a probabilidade de você se enrolar ou de algum momento você falar algo cuja informação não vai bater: PAAAN! 🚨 Visto negado na hora.

Apesar do formulário ser um pouco longo, são perguntas relativamente fáceis. Então, fica de boa.

SEGUNDO PASSO: PAGAR A TAXA DE SOLICITAÇÃO DE VISTO

Após preencher o DS-160 você tem que pagar a taxa de solicitação do visto para que você possa agendar sua ida ao CASV (que já já vou explicar melhor o que é, rapidinho) e a a sua entrevista através do site do Departamento de Vistos dos EUA (acesse clicando aqui: https://ais.usvisa-info.com/pt-br/niv).

A taxa custa US$ 160 (cerca de R$ 500 💸) para os vistos B1/B2. E são duas as formas de pagamento: boleto bancário ou cartão de crédito.

Pagando com o cartão de crédito, é possível no passo seguinte agendar sua entrevista. Lembrando que é necessário que seja um cartão de crédito internacional.

Porém, caso você não tenha cartão de crédito internacional, ou por qualquer outro motivo, prefira pagar com boleto, será necessário esperar a confirmação do pagamento (que demora entre 24-72 horas).

Essa taxa não é reembolsável. Isso significa que, mesmo que seu visto seja negado, você não receberá o dinheiro de volta.

IMPORTANTE: GUARDE O COMPROVANTE DE PAGAMENTO!

Você vai precisar dele no próximo passo.

TERCEIRO PASSO: AGENDAR O DIA E LOCAL DA IDA

AO CASV E DA ENTREVISTA NO CONSULADO

São necessárias duas etapas presenciais para tirar o seu visto:

Primeiro a visita ao Centro de Atendimento ao Solicitante de Visto (intimamente conhecido como “CASV”) e, depois, a entrevista no consulado ou embaixada.

Os agendamentos podem ser feitos pela internet (no próprio site do Departamento de Vistos dos EUA, o qual você gerou o boleto/fez o pagamento da taxa de visto) ou pelo call center (confira os números clicando aqui: https://ais.usvisa-info.com/pt-br/niv/information/contact_us).

Para as entrevistas presencias você poderá realizar em uma das 6 cidades: Belo Horizonte, Brasília, Recife, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre.

Caso você não seja residente de uma dessas cidade, você terá de viajar até uma delas.

Nesta etapa do agendamento você também vai escolher onde você prefere que seu visto, caso aprovado, seja entregue. Seja buscando no CASV ou em casa através dos correios (não é necessário pagar taxas extras para isso, porém há a possibilidade da entrega em casa atrasar por conta de eventuais greves/problemas internos dos Correios).

No dia que você estiver agendado você irá ao CASV, onde serão coletadas informações biométricas dos seus dedinhos e vão tirar uma fotografia do seu rostinho maravilhoso.

Nesse dia da sua ida ao CASV, você deverá levar os seguintes documentos:

1) Passaporte atual;

2) Página de confirmação do formulário DS-160 impressa;

3) E página de confirmação do agendamento impressa.

Depois temos a tão conhecida e TEMIDA entrevista na embaixada.

Tem muita gente que acha que o agente consular (que é o cara que realizar a entrevista) concede ou não o visto baseado no fato de ter ido ou não com a sua cara. E, bem, não é bem assim que a banda toca não.

Se você preencheu o formulário DS-160 direitinho, e levou os documentos certinhos, a entrevista tende a ser rápida. Afinal, o objetivo da entrevista é confirmar os dados do formulário e garantir que você atende aos critérios de entrada.

E fica calmo: todos os agentes, apesar de serem americanos, falam português.

No dia da entrevista no consulado, você deverá levar:

1) Passaporte válido;

2) Caso você tenha, qualquer outro passaporte antigo com vistos anteriores;

3) Todos e quaisquer documentos que ache necessários para provar as informações que você colocou no formulário.

Infelizmente não existe uma lista oficial específica, segundo a embaixada, com todos os documentos necessários. Pode ser, inclusive, que o oficial consular não peça para ver nada além do passaporte. MAS ANTES PREVENIR QUE REMEDIAR NÉ MESMO? Portanto, vamos lá com uma mini lista que você pode usar como base para saber, mais ou menos, o que vale a pena levar. Documentos como:

- Carteira de trabalho;

- Declaração de IR;

- Folha de pagamento/holerites de meses recentes;

- Certidões de casamento/nascimento;

- Extratos bancários dos últimos 3 meses;

- Documentos de possíveis bens que você tenha no Brasil (documentos de veículos, escrituras);

- Declarações escolares;

- Cartas de empregadores;

- Certificação recente de CNPJ.

Lembrando que sua intenção sendo realmente viajar a turismo (no caso, visitar o país e depois voltar - que é que eu espero que seja a intenção de quem está lendo esse post, porque LONGE DE MIM estimular a imigração ilegal), durante a entrevista você não estará mentindo em relação a nada, estará fazendo tudo certo! Então não tem o que temer ou ficar nervoso. Responda tudo que for perguntado com tranquilidade e clareza.

E muito importante: só fale o que for pedido para você na hora. Por mais que você vá super prevenido, cheio dos documentos, você só vai mostrar e entregar para o entrevistador o que te for pedido. Seja sempre claro e breve. Sem noias, ok?

IMPORTANTE: Caso outra pessoa vá custear sua viagem (o que eu expliquei lá em cima como o "sponsor"/“patrocinador”), é importante levar também os mesmos documentos recomendados acima para os solicitantes do sponsor.

Nem preciso falar, mas já falando, que entregar documentos falsos ou alterados pode resultar não só na negação do visto, mas até em uma declaração de inelegibilidade permanente para vistos americanos. Então, novamente enfatizo, NADA DE QUERER SER MALANDRINHO!

QUARTO PASSO: ENTREGA DO PASSAPORTE

Em geral, no fim da entrevista, você terá o veredito: aceito ou não.

Se for negado, o entrevistador te devolve o passaporte na hora pra você levar de volta pra casa. Caso seja aceito (QUE É O QUE QUEREMOS E VAI ACONTECER AMÉM IRMÃOS) o consul fica com o passaporte, e depois você o recebe/busca de volta com o visto num prazo de, em média, até dez dias úteis.

Mas ainda existe uma terceira opção: quando é necessário uma análise mais profunda da sua situação.

Se esse for esse o caso, você também é informado no fim da entrevista, onde o entrevistador diz que é necessário mais alguns documentos para que ele tenha certeza das suas intenções em viajar para os EUA. Ele irá especificar que tipo de documentos são e você terá de voltar depois com eles. Fazendo isso e estando tudo certo quando você voltar: visto concedido (PS: caso isso aconteça, não será necessário o pagamento de nenhuma taxa extra).

Agora vamos responder algumas dúvidas frequentes que a galera tem:

1) Por quanto tempo o visto é válido?

O visto de turismo e negócios americano B1/B2 normalmente é válido por 10 anos. Mas, se seu passaporte vencer e o visto ainda estiver valendo, não há problema. Neste caso, quando for viajar, é preciso levar o passaporte vencido (com o visto válido) junto com o passaporte novo.

2) O visto também tem “negócios” no nome. Posso trabalhar lá, então?

NÃO NÉ MEU BEIN! Embora o visto permita a permanência de até seis meses no país, ele é destinado a compromissos pontuais, como: reuniões, palestras e outros eventos. Não empregos fixos assalariados.

Caso você trabalhe em uma empresa de engenharia, por exemplo, você pode ir acompanhar um projeto, e depois retornar ao Brasil. Mas você não poderá ir ao EUA para ter um emprego fixo em uma empresa americana.

3) Ter o visto me dá a certeza que vou entrar nos EUA?

Não. Apesar de todo esse processo, o visto não garante sua entrada nos Estados Unidos. Quem no final vai dizer se você vai entrar ou não nos EUA é o oficial de imigração no aeroporto.

Mas relaxa, fique tranquilo, lá os critérios são os mesmos da embaixada e do consulado no Brasil. Isto é, estando tudo certo, a probabilidade de você não entrar é praticamente 0.

Gostou das dicas e das informações? Não deixa de conferir o vídeo sobre o tema!

EEEE... vejo vocês no VÍDEO NOVO ACIMA aqui no próximo post! Byeee 😘😘

#visto #americano #turismo #turista #b1 #b2 #consulado #eua

494 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
Sobre mim

Nem gorda, nem magra, super agitada (após passar horas dormindo) e, aparentemente, sempre de bom astral e gritando (muito). Nascida no dia 18 de abril de 1991, em Teresópolis (região serrana do estado do Rio de Janeiro). 

Leia mais

© 2017 Marcela Lahaud